Artigos e Publicações

Eles conseguiram, voce também pode!

Beatriz A. Nascimento em entrevista para Saúde Integral

A terapeuta Beatriz Ambrósio de Nascimento é um exemplo vivo do incrível poder do corpo e da vontade na produção da saúde e na reversão de doenças graves: nasceu com distrofia muscular, uma doença hereditária, considerada incurável, intratável e progressiva. Por conta da enfermidade teve uma infância cheia de limitações.“Nunca consegui fazer abdominais, assobiar ou piscar; minha musculatura foi sempre flácida, meus movimentos pesados e desengonçados e tudo me cansava muito”, relembra.

 Em 1988, quando lecionava Terapia Ocupacional na Universidade Federal de São Carlos,  os estragos da doença  eram  visíveis:tropeçava e caía com facilidade, subia escadas com dificuldade, não conseguia levantar os braços acima dos ombros, seu rosto já começava a ficar visivelmente comprometido e o cansaço só aumentava. Tinha a sensação de irreversível declínio e pensava que, aos 30 anos,  estava “entrando na velhice e me aposentando(!!!)”.

 Foi quando a vida a pôs em contato com o livro de Meir Schneider – “Uma Lição de Vida”- ficou impressionada com a sua força e estratégias inovadoras para reverter quadros patológicos tão sérios. Pensou: “se alguém conseguiu, eu também posso”.

 Rumou para a California onde passou quase um ano fazendo um tratamento intensivo com o próprio Meir e o curso de formação. Quando retornou estava cêrca de 40%melhor, livre das dores, tropeções e mal-estares, além de profundamente feliz e determinada a dar um novo sentido à sua vida, ensinando ao maior número de pessoas  a fazer o melhor uso possível de seu corpo e aliviar os sofrimentos da doença e do envelhecimento. E foi assim que o método  de Self-Healing chegou ao Brasil.

 Vida Integral: O  próprio Meir Schneider, Ph.D, desenvolveu seu método de autocura  a partir do processo de recuperação da  própria visão.  Como foi isso?

 Beatriz: Ele nasceu com sérios problemas nos olhos e após diversas cirurgias mal-sucedidas foi declarado legalmente cego aos 5 anos de idade. Combinando exercícios para os olhos baseados no trabalho do dr. Bates com conhecimentos da yoga, consciêrncia corporal, respiração, visualização e várias técnicas de massagem que ele mesmo criou ou adaptou, foi recuperando a visão, desenvolvendo seu método,  e hoje tem carteira de motorista e viaja o mundo atendendo pacientes e formando profissionais.

 Vida Integral: como é esse trabalho?

 Beatriz: A essência do Self-Healing está em ativar a inteligência inata do corpo, conscientizando o indivíduo de seu enorme poder na produção da sua saúde. Ensinamos ao cliente a reconhecer seus padrões de movimento prejudiciais e a conectá-los com suas tensões e processos patológicos. Também atuamos nos padrões mentais automatizados, quebrando-os e permitindo que novos circuitos neurais se estabeleçam. Cria-se, então, melhores condições para o funcionamento fisiológico do corpo/mente/cérebro, o que permite prevenir boa parte das dores e doenças que estão aí,  regenerar certos tecidos  e ativar áreas para  compensar  perdas irreversíveis.

 Vida Integral: No momento, como está a aceitação da técnica no Brasil? E em outros países?

 Bia: no Brasil vem crescendo significativamente, especialmente nos últimos 10 anos. Hoje temos 22 profissionais formados, quase uma centena em diversos estágios da formação e várias centenas de clientes em atendimento. Temos uma Associação Brasileira de Self-Healing, cujo site é uma referênicia para o público em geral e para os alunos e interessados na formação. Meir dá cursos de formação nos EUA. Israel, Inglaterra, Canadá e workshops em muitos outros países; seu livro  foi traduzido para o portugues, frances, hebraico, russo e húngaro. O livro de Ney Chaves, Saúde dos Olhos – Luz, Escuridão e Movimento”, além de estar na sua segunda edição em portugues, foi lançado na língua francesa no final do ano passado e está sendo traduzido para o ingles e espanhol. Estes são alguns marcos importantes do crescimento do método.

 Vida Integral: Onde e como se faz a formação de profissionais na área?

 Bia: Ela tem acontecido principalmente em São Paulo, eu sou a responsável pelo Nivel I e o estágio, enquanto o Meir ministra o Nivel II e o estágio. Iniciaremos nova turma em outubro próximo e é importante que os candidatos já comecem a se preparar através do roteiro de estudos fornecido no ato da inscrição.

 Vida Integral: Que enfermidades podem ser tratadas pelo método?

 Bia: quase todas as relacionadas ao movimento, agudas e crônicas, como artrites, artroses, problemas de coluna e posturais, tendinites, lesões por esforço repetitivo, polio, pós-pólio, distrofias e atrofias musculares, esclerose múltipla, AVC, asma, problemas circulatórios, visuais (erros de refração e doenças dos olhos), além da prevenção, do combate ao stress e ao envelhecimento, aumento do bem-estar e da vitalidade.

Vida Integral: Até que ponto o sucesso dos tratamentos depende do paciente?

Bia: Self-Healing  não é uma pílula mágica, que “extirpa” a doença  de dentro de voce. Requer paciência, dedicação, boa orientação  e confiança no processo. Todos nós temos uma capacidade enorme de recuperar e manter a saúde, e a chave é o movimento, a mudança. É claro, portanto, que a pessoa precisa se dispor a fazer as mudanças que seu caso especiífico requerer para obter os resultados almejados.

 Vida Integral: A medicina convencional não tem visto a técnica como concorrente?

Bia: Nós não nos colocamos como concorrentes, mas como parceiros dos médicos e demais profissionais da saúde, cada um fazendo a sua parte, inclusive o cliente, em prol da manutenção e recuperação da saúde.

 Vida Integral: Quais os planos para o futuro da técnica no país?

Bia: Investir mais na divulgação do método e criar formas mais diversificadas de acesso  aos seus instrumentos.

 Experimente

 ROTAÇÃO DE OMBROS: Deite de lado, com a cabeça sobre um travesseiro, a mão apoiada no chão em frente ao peito e gire o ombro livre cêrca de 20 vezes para cada lado, devagar e suavemente, enquanto  dá tapinhas com as pontas dos dedos da outra mão na ponta do ombro que gira. Isto lhe “ensina” a usar os músculos certos e somente os necessários. Respire lentamente. Páre e visualize que voce está rodando seus ombros muito levemente, sem qualquer peso ou restrição, e que  é a ponta do ombro que está levando o movimento -isto  solta a tensão dos músculos do meio das costas. (Fig.1).

 ROTAÇÃO DE BRAÇOS: na mesma posição, gire o braço todo em movimento circular cêrca de 20 vezes. Pense que são as pontas dos dedos que estão  puxando o braço. Interrompa o movimento e dê batidinhas no chão com a ponta dos dedos; isto vai ajudá-lo a sentir a ponta dos dedos. Repita a rotação dos braços. Dê batidinhas no músculo peitoral, que se alonga quando você leva o braço para trás. (Fig.2). Rode mais algumas vezes, para ambos os lados  e repita a rotação dos ombros. Ficou mais leve? Deite-se barriga para cima, relaxe, respire e compare os dois ombros. Voce vai se surpreender. Repita do outro lado.

 Os exercícios de Self-Healing são relaxantes, energizantes e ótimos para diminuir a dor. Quando voce for andar, visualize que seus pés estão levando suas pernas. Quando digitar ou escrever, imagine que são as pontas dos dedos que realizam o movimento. Respire profundamente e imagine que cada parte do seu corpo está se alongando, expandindo e soltando.


Associação Brasileira de Self-Healing: www.absh.org..br

School For Self-Healing: www.self-healing.org.