Artigos e Publicações

SELF-HEALING NA OSTEOARTROSE

Márcia Alves de Siqueira

Terapeuta Ocupacional

CREFITO-3: 4393

Secretária da ABSH

A osteoartrose também denominada artrose, osteoartrite, artrite degenerativa ou hipertrófica é o tipo de atrite que mais afeta a população, diminuindo a qualidade de vida de milhares de pessoas. É um dos problemas de saúde mais comum em indivíduos de meia-idade e idoso, sendo uma causa importante de afastamento do trabalho e de aposentadoria precoce.

Esta doença acomete principalmente o joelho, mão, quadril e coluna vertebral, regiões importantes para independência do indivíduo. Na osteoartrose ocorre à degeneração articular, havendo desgaste da cartilagem articular (estrutura que cobre ossos), alterações nos ossos (ficam mais rígidos e formam osteófitos), diminuição do líquido que lubrifica a articulação, inflamação e fraqueza dos músculos e ligamentos que estabilizam a articulação (desalinhando e gerando instabilidade na articulação), diminuição do líquido que lubrifica a articulação, redução do espaço articular e movimento (devida contração de ligamentos, cápsulas e músculos, por diminuição do uso da articulação). Com o tempo também podem acontecer alterações na sensibilidade motora e posicional (propriocepção).Caracteriza-se por dor, rigidez, contraturas musculares, perda da mobilidade, fadiga generalizada e pequena capacidade aeróbica.

Atualmente existem diversas formas de tratamento para a osteoartrose, sejam nutricionais, cirúrgicas ou educativas.

O método Self-Healing de Meir Schneider tem se mostrado eficaz na reeducação corporal dos indivíduos portadores desta patologia levando a regressão dos sintomas e ensinando estas pessoas como lidar melhor com seu corpo para evitar a piora. Também o método ajuda na prevenção da doença.

As bases do método nesta questão incluem:

 

Massagem:

            Toque sensitivo específico, o qual estimula o fluxo sanguíneo e ajuda a dispersar o líquido acumulado, reduzindo o inchaço e amolecendo a cartilagem. A massagem também contribui para o relaxamento muscular diminuindo a tensão que recai sobre a articulação e ajudando no melhor funcionamento da musculatura.

Respiração Profunda

A respiração profunda leva a uma melhor oxigenação de todas as células, aumento da circulação e relaxamento generalizado; fazendo com que todo organismo funcione melhor, diminuindo a fadiga.

Movimentos Suaves:

Os movimentos delicados, lentos e sem dor (por menor que sejam) promovem melhor circulação e aumento desta na articulação, aumento do líquido que lubrifica a articulação, evita que se instale um quadro de rigidez e contratura. Repetindo-se várias vezes estes exercícios há o aumento da amplitude de movimento e o cérebro aprende que pode realizar movimentos sem dor e esforço, de forma relaxada. Os movimentos suaves em conjunto com a massagem proporcionam reequilíbrio muscular e melhor propriocepção.

Visualização:

A visualização de movimentos suaves ajuda o cérebro reaprender como realizá-los, muitas vezes estas pessoas têm dificuldade em realizar o movimento lento e suave mesmo na visualização.

Alongamento:

Estes exercícios junto com as técnicas descritas acima proporcionam aumento do espaço articular.

            Quebra de Padrão:

Estes exercícios levam a pessoa usar o corpo de forma diferente, utilizando músculo que não estava acostumada a usar, fortalecendo estes (de forma suave através da repetição) e diminuindo a tensão sobre os que costumavam a usar.

            Exercícios na Água:

Realizar os exercícios dentro d’água, sem precisar lutar contra a força da gravidade e a qual oferece uma resistência agradável, diminui o estresse sobre a articulação e aumenta a eficácia dos movimentos. A água quente tem mostrado resultados benéficos, pois proporciona relaxamento da musculatura e flexibilidade dos tecidos. Já no caso de apresentar inflamação ou inchaço, muitas pessoas têm obtido melhores resultados na água fria.